Resenha de God of War Ascension

A sexta parte de uma das principais franquias da Sony se passa cronologicamente antes de todos os outros. Se você ainda não jogos os demais, fica o aviso que este jogo tem um spoiler importante.

Em God of War Ascension, Kratos rompe sua jura ao deus da guerra Ares e é perseguido e capturado por Tisífone, Megera e Alecto, da lenda grega das Fúrias (ou Erínias), entidades que personificam a vingança. Kratos busca derrotá-las e, com isso, livrar-se efetivamente de seu vínculo a Ares.

Uma crítica comum a todos os jogos da franquia era o combate simples, que deu origem à piada acima. Finalmente esse ponto fraco foi revisto de maneira convincente pelo estúdio Santa Monica e agora deve-se abordar cada batalha com alguma tática, em vez de simplesmente apertar o botão quadrado dezenas de vezes.

Boa mudança na jogabilidade são as armas encontradas no cenário e tomadas de inimigos. A lança e a funda são armas de arremesso. O escudo, a espada e o tacape pesado são armas corpo a corpo. Todas podem ser usadas em combinação com os ataques normais.

As magias foram outro aspecto que sofreram grandes mudanças. Elas afetam os golpes que podem ser dados com as Blades of Chaos.
Faço menção honrosa à dublagem em português do Brasil, que está acima da média de outros jogos. Kratos foi muito bem interpretado, embora não à altura de Terrence ‘T.C.’ Carson, o dublador original do personagem.


Habemus multiplayer

O modo multijogador introduzido em Ascension é uma alternativa muito melhor para aumentar a vida útil do jogo do que os desafios existentes nas versões anteriores. Tem um modo deathmatch, um deathmatch de times e também um modo cooperativo. Em todos eles, além de descer o sarrafo impiedosamente em outros guerreiros ou monstros, pode-se interagir com o cenário para cumprir objetivos e ganhar pontos.

No multiplayer, seu guerreiro ganha poderes e progride de acordo com o deus a quem ele jura lealdade e pode ser personalizado com arma, armadura, itens e marcas (tatuagens) semelhantes à de Kratos.

Pontos positivos

  • Combate melhorado
  • Cenários e personagens muito bem detalhados
  • Modo multiplayer

Pontos negativos

  • O sistema de progressão das magias poderia ter sido melhor.
  • Patches estão deixando o jogo desnecessariamente mais fácil.

E vocês, o que acharam do jogo? O que melhorou e o que piorou?

Anúncios

0 Responses to “Resenha de God of War Ascension”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 203 outros seguidores

Comentários

Ivan Carlos em Teste
Talvane em Teste
Raphael Aguiar em Teste
Renato Reish em Teste
Leonardo Passos em Teste
Leonardo Passos em Teste
Adriano Gorrasi em Teste
Luciano em Teste
Rodrigo Silveira em Teste
Papaidilda em Teste
ricardo em Logitech Driving Force GT
Ana em Patrulha Estelar (Star Bl…
Vitor em Comando do pessoal do blog no…
Karl Willy klumpp em Comando do pessoal do blog no…
anderson em Logitech Driving Force GT

Twitter – RSeiti

Twitter – Vitor

Twitter – Bruno Juliao


%d blogueiros gostam disto: