DC Universe Online – Algumas impressões por Gustavo Cocina

O texto abaixo foi um comentário num post sobre o DC Universe Online, como ficou excelente, mereceu virar post para ser lido por mais pessoas:
=================================

trailer do 1o dlc

Eu não sabia bem o que esperar quanto a jogabilidade, porque não tive curiosidade de procurar vídeos, mas fui muito compelido a experimentar esse jogo por causa do fantástico trailer pós-apocalíptico em 1080p disponível na PS Store. E também por se basear no universo de heróis do qual eu consumia vorazmente as histórias desde a adolescência até uns dois anos atrás, antes dos filhos e do PS3 😀 .

Nunca joguei um MMORPG antes, então a coisa natural a fazer foi procurar analogias com o Diablo II, que é minha única experiência significativa com jogo online e um dos poucos RPGs que joguei. Me causou estranheza o monte de gente completando suas missões no mesmo lugar que eu, muitas vezes até atrapalhando um pouco. Por isso achei um pouco chato como tudo nunca muda. Os inimigos ficam o tempo todo se regenerando nas mesmas áreas. As batalhas contra os chefões são difíceis, sendo recomendável que você forme um grupo antes de encará-los. Até agora consegui derrotar alguns chefes sozinho, mas com algum sofrimento, principalmente o primeiro, até me acostumar com a mecânica do jogo.

A primeira experiência recompensadora oferecida pelo DCUO é a criação de seu personagem, com uma enorme gama de uniformes e acessórios visuais, que permite a criação de heróis e vilões praticamente únicos, quase com personalidades próprias. Fiquei muito satisfeito com os visuais que criei e até agora não vi nenhum sequer parecido com os meus.

Criei um personagem voador inspirado no Super-Homem, uma velocista inspirada na Mulher Maravilha e um acrobata que usa gadgets, tendo o Batman como mentor. Nesses dois últimos apenas brinquei por alguns minutos para sentir a diferença dos tipos de movimentação.

Para começar a experimentar o jogo eu acabei escolhendo o voador, já que o último filho de Krypton sempre foi meu personagem preferido, até hoje. Joguei até o nível 19, sendo que o máximo é 30.

Fiz diversas missões, enfrentando clássicos vilões como Gorila Grodd, Bizarro, Dr. Psycho e Rainha Inseto. Essas lutas são bem divertidas e difíceis, embora para chegar a eles seja necessário fazer atividades um pouco longas e repetitivas.

O jogo se passa em Gotham City e Metrópolis, cidades muito bem caracterizadas. Voar por elas e reparar nos detalhes de arquitetura e paisagismo é uma delícia. O objetivo é, seja você um herói ou vilão, evitar a dominação do planeta pelo Brainiac.

O combate não foge muito da fórmula de jogos como Marvel Ultimate Alliance ou Justice League Heroes, baseados em combos e em poderes que consomem uma barra de energia, recarregada automaticamente depois de alguns segundos de descanso.

Apelar para o vôo para fugir de situações difíceis quase nunca é uma opção válida, porque ao levar um tiro enquanto voa, o personagem é interrompido e passa a flutuar lentamente por alguns segundos, podendo levar muitos mais tiros. O velocista também reduz o ritmo quando é atingido, mas nem tanto quanto o voador. A movimentação mais segura é a do acrobata, que corre a passos largos e escala paredes, escapando dessas situações de vida ou morte com mais facilidade, porque sua movimentação é a menos afetada por golpes e tiros.

Um personagem é definido por três dimensões: modo de deslocamento, natureza dos poderes e armas. Cada dimensão oferece algumas possibilidades de escolha. É possível fazer combinações variadas como vôo com poderes mentais e atirar com duas pistolas ou usar velocidade com poderes naturais das plantas e bater com um bastão. Não sei se há receitas consideradas mais efetivas que outras em PVE ou PVP. Não encontrei um guia para o DCUO como o Arreat Summit foi para o Diablo II.

As infinitas possibilidades de manipulação de atributos e árvores de skills do jogo da Blizzard não existem no DCUO. Achei decepcionante não conseguir emular os poderes do Homem de Aço fielmente, porque não há atributos como força, velocidade, destreza, etc. a ser desenvolvidos. Você simplesmente vai destravando poderes e habilidades, que não podem ser evoluídos, salvo por algumas sinergias automáticas com outros poderes da mesma árvore. Escolhi a árvore de poderes de gelo, que percebi não serem muito interessantes visualmente e também não achei muito eficazes em tornar os inimigos mais lentos ou congelá-los no lugar.

A natureza dos poderes pode ser elemental, tecnológica ou mágica, o que vai definir mais tarde o papel de seu personagem em missões multijogador cooperativas (alerts PVE) e competitivas (raids PVP). O DCUO implementa os papéis típicos de MMORPG tanque, controlador e healer, além do DPS (dano por segundo) comum a todos. Ainda estou para participar de um desses eventos. Até agora tenho tido uma experiência single player.

Para quem ainda não sabe, o DCUO começou a ser comercializado nos mesmos moldes do WoW: 60 dólares pela mídia do jogo mais 15 dólares pela assinatura mensal. Agora ele é free-to-play. Você baixa de graça pela PSN – ou a versão para PC pelo site do jogo – e joga de graça.

O modelo de assinatura de 15 dólares continua existindo, sendo chamado de Legendary e seus optantes podem manter até 5 personagens, podem carregar o dinheiro do jogo em quantia infinita e possuem 63 espaços para armazenamento de itens como armas e armaduras por personagem.

Há outro modelo pago, o Premium, concedido a quem gasta 5 dólares em itens ou DLCs. Só é necessário fazer esse gasto uma única vez e sua assinatura passa automaticamente a ser Premium para sempre. Acho que compensa, pelo conteúdo adicional e por poder manter até seis personagens simultaneamente, cada um tendo 42 espaços para itens. O jogador free-to-play pode manter apenas dois personagens, tendo cada um 28 slots para itens.

O primeiro DLC custa 10 e dólares permite a criação de um personagem com um anel energético, permitindo emular os poderes de luz dos Lanternas Verdes ou da Tropa Sinestro, arquiinimigos dos primeiros. Vale a pena por transformar sua assinatura em Premium para sempre e por você poder com seu próprio Lanterna. Não cheguei ainda ao conteúdo adicional, composto por três missões.

O segundo DLC é baseado no Flash, mas a única divulgação até agora foi o teaser postado pelo Seiti.

Para concluir, vale muito a pena experimentar, afinal é de graça e é muito divertido, principalmente se você é um decenauta (fã do universo DC).

O download para PS3 tem 14,7 GB, o que levou 12 horas para baixar por uma conexão de 10 Mega. Se sua conexão outra velocidade, faça as contas e mantenha seu equipamento ligado por algumas madrugadas.

link no youtube:http://www.youtube.com/watch?v=Ev3NoTZg0Ig

Anúncios

1 Response to “DC Universe Online – Algumas impressões por Gustavo Cocina”


  1. 1 Epitácio Neto 02/12/2011 às 08:44

    Eu baixei pq era de graça, mas como eu já jogo World of Warcraft não vou continuar. Mas tb achei legal o game, bom pra passar o tempo…
    Pra quem é fã deve ser mais divertido.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 203 outros seguidores

Comentários

Ivan Carlos em Teste
Talvane em Teste
Raphael Aguiar em Teste
Renato Reish em Teste
Leonardo Passos em Teste
Leonardo Passos em Teste
Adriano Gorrasi em Teste
Luciano em Teste
Rodrigo Silveira em Teste
Papaidilda em Teste
ricardo em Logitech Driving Force GT
Ana em Patrulha Estelar (Star Bl…
Vitor em Comando do pessoal do blog no…
Karl Willy klumpp em Comando do pessoal do blog no…
anderson em Logitech Driving Force GT

Twitter – RSeiti

Twitter – Vitor

Twitter – Bruno Juliao


%d blogueiros gostam disto: